segunda-feira, 29 de setembro de 2008

Santa Teresinha e as virtudes

J.M. + J.T.

Olá!

Quem não conhece bem Santa Teresinha é levado a pensar que ela é uma santa pequena, sem muita importância, pelo fato de usarmos seu nome sempre no diminutivo. Com a leitura de alguns trechos ou frases de seus escritos, esse pensamento se reforça, devido à linguagem simples, quase infantil, usada pela autora. Mas na verdade Santa Teresinha é uma grande santa, determinada a buscar a Cristo com todas as suas forças.

Teresinha viveu com perfeição as três virtudes de Santa Teresa do Caminho de Perfeição: a caridade, a humildade e o desapego. O desapego está na própria raiz da vida monástica: abandonar o pai e as irmãs, a quem tanto amava, para dedicar-se a Deus foi uma das cruzes mais pesadas que precisou carregar, como deixa registrado em sua biografia e nas cartas desse período. Mesmo no Carmelo, onde algumas de suas irmãs já eram religiosas, Teresinha procurava manter-se longe delas, procurando dar mais atenção às demais religiosas e evitar de criar laços de amor particulares.

Há um episódio de sua vida que ilustra sua profunda caridade. Havia entre as irmãs uma com a qual Teresinha não simpatizava, mesmo sem ter motivo para isso. No entanto, Teresinha fazia um esforço para reconhecer o Cristo vivo nessa irmã, e sempre procurava sorrir-lhe ao encontrá-la pelo mosteiro. Isso se repetiu tantas vezes que, certa ocasião, essa irmã perguntou porque Teresinha gostava tanto dela. Esse é o centro de toda a caridade: reconhecer que cada pessoa, mesmo com suas limitações e defeitos, é um filho amado de Deus. Teresinha sentiu profundamente esse amor por todas as pessoas, e isso levou ao surgimento de um profundo desejo de ser missionária, mesmo sem sair do convento.

Mas de todas as virtudes, certamente a humildade é a que Teresinha viveu com mais heroísmo. Dizendo-se muito pequena para ser uma grande santa, como Santa Teresa ou São João da Cruz, Teresinha decidiu fazer-se pequena. Dizia ela que a alma é como uma criança que deve subir uma escada para encontrar o pai. Se a criança sobe sozinha, o pai a aguarda, mas se a criança é muito frágil, o pai desce até ela e a carrega no colo. Por isso Teresinha decidiu fazer-se criança, praticando pequenas mortificações e obras de caridade em sigilo, sem que fosse notada. Essas mortificações eram, por exemplo, deixar de comer alguma comida que gostasse, colocar pequenas pedrinhas nos calçados, ou dobrar as capas das irmãs após as orações. Tudo em silêncio, de forma a nunca ser notada.

Quando Teresinha morreu, as irmãs precisavam escrever sobre ela, para enviar aos outros Carmelos, mas algumas não sabiam sequer o que escrever. "Ela não fez nada demais", diziam. Grande engano: assim que tiveram contato com sua autobiografia, surpreenderam-se com a profundidade das virtudes que Teresinha praticava.

A nós, Santa Teresinha ensina que nunca há local inadequado para sermos santos, ou para praticarmos as virtudes. Certamente todos nós temos muitas ocasiões ao longo do dia em que podemos ser caridosos ou que podemos fazer pequenas mortificações. Santa Teresinha dizia que precisamos ter os olhos fixos em Deus, assim como a águia fixa os olhos na sua presa, e voar em direção a Ele com todas as nossas forças. Façamos como ela: busquemos as virtudes com força e decisão, tendo consciência que uma alma que se eleva, eleva o mundo.

Um grande abraço a todos!

Um comentário:

Paulo Henrique disse...

Santa Teresinha é uma grande santa e possui uma intensa veneração por todo o país, com inúmeros fiéis que se aproximam de Deus com seus ensinamentos. Mesmo em paróquias e comunidades não carmelitas, a devoção a ela é intensa e muito fervorosa!

Aqui mesmo na Diocese de Anápolis, Goiás, Santa Teresinha é lembrada em várias comunidades. Muitas delas celebram a novena de Santa Teresinha juntamente com a de São Franscisco de Assis, dia 04. Dois grandes santos de nossa Igreja que abrem o Mês das Missões.

O que mais me impreciona em Santa Teresinha é justamente ter sido proclamada pela Igreja, Padroeira das Missões. Impossível aos olhos do mundo compreender como uma serva de Deus enclausurada foi proclamada doutura e padroeira das Missões. A sua humildade e tantas virtudes ajuda-nos a compreender e a admirar cada vez mais Santa Teresinha, que se fez grande na humildade...

Santa Teresinha, rogai por nós e abençoai nossas missões...